• 2e
  • 3e
  • 4e
  • Slideshow01
 

Paço de Lanheses - Viana do Castelo - Portugal

Ponte de Lima


mocsestevaoNum dos cabeços mais meridionais do monte do Castelo está situado o castro de St.º Estêvão da Facha.

Apesar da área escavada ser relativamente pequena, em função do total, conseguiu-se obter uma série de elementos que consideramos importantíssimos para o conhecimento da problemática castreja desde o seu início até à miscigenação com a cultura romana.

 Hoje, St.º Estêvão da Facha, apesar da sua infância em termos de divulgação, já é um clássico a quem os investigadores desta área têm forçosamente de recorrer.

A ocupação do cabeço remonta ao século VII a. C., conforme sugerem alguns materiais da área mediterrânica e outros da família hallstática caso das taças carenadas tipo "Alpiarça". É um horizonte que prima pela ausência de construções pétreas, tudo levando a crer que as habitações foram feitas com elementos vegetais reforçados a barro.

As primeiras habitações pétreas pertencem ao Horizonte IIIA, isto é, à fase mais antiga do castrejo, se considerarmos como Carlos A. Ferreira de Almeida, que só a partir do momento em que aparecem as casas feitas à base de pedra e os sistemas defensivos é que se pode falar verdadeiramente em Cultura Castreja. Antes é o período formativo, o pré-castrejo.

Estas habitações com uma estrutura feita à base de pedra miúda, partida por impacto ou fissura natural e ligadas por barro, não mostram qualquer sinal da utilização do pico. Possuem pisos de barro compacto que se estendem para fora das casas e lareiras, decoradas umas, bem calcinadas outras.

Proto-História e Romanização da Bacia Interior do Lima -1990
Carlos A. Brochado de Almeida


http://hdl.handle.net/1822/20347
http://www.museuarqueologia.pt

Découvrir la région

Le Alto Minho

«...les gens de la province Minho sont les habitants les plus sympathiques du Portugal aussi bien à cause de leur gentillesse que à cause de leur gaieté; leurs danses et leurs chants ont fait dire à un auteur étranger qu'ils ressemblent aux vrais bergers de l'Antiquité .»

in: Minho Pitoresco, année 1887